Fimose: existe tratamento alternativo para evitar a cirurgia

A fimose de caracteriza pela dificuldade da criança ou do adulto em expor a glande do pênis (cabeça), devido à presença de uma pele chamada prepúcio que recobre o órgão genital masculino.

A criança pode nascer com o problema ou desenvolvê-lo na infância precoce.

A incidência gira em torno de 8%, sendo que esse número decresce no início da adolescência.

A criança pode apresentar aderência da pele na glande do pênis que se desfaz na maioria dos casos até os 03 anos de idade (fimose fisiológica).

A dificuldade para urinar, levando à infecção urinária; dor durante a relação sexual; e dificuldade para a limpeza completa do pênis, ocorrendo o acúmulo de secreções (esmegma); parafimose (condição na qual o prepúcio(pele), uma vez retraído sobre a glande, não pode ser colocado na sua posição normal, levando ao inchaço e dor) são alguns dos problemas causados pela fimose.

Um fator de destaque é que a dificuldade de uma boa limpeza na área, pode levar a quadros repetidos de inflamações no pênis (balanopostites) das mais variadas intensidades, podendo evoluir com infecções urinárias e aderências do prepúcio.

Após ser confirmada por um médico, a fimose pode ser tratada de duas maneiras: através da cirurgia (postectomia) com a retirada do excesso de pele do pênis, procedimento que muitas vezes se faz necessário, ou de modo conservador, com a utilização de pomada a base de valerato de betametasona e a enzima hialuronidade, que evita – na maioria dos casos tratados – que o paciente passe pela cirurgia.

Ao contrário do que se possa imaginar, as massagens ou exercícios sem orientação médica, ao invés de melhorar, podem agravar o problema. Uma manobra mais intensa pode causar fissuras (cortes) que posteriormente cicatrizam e fecham ainda mais a extremidade do prepúcio (pele).

È indicado que, na hora do banho, o portador de fimose use água e sabonete e não tente puxar a pele que recobre o pênis para entrar expor a glande (cabeça do pênis), evitando complicações.

Vale ressaltar que as pessoas que têm fimose desde o nascimento, têm risco maior de desenvolver câncer de pênis, devido a má higiene local e presença de infecções; e, pelo mesmo motivo, há um aumento na incidência do câncer do colo uterino nas parceiras de homens com fimose. O não tratamento da fimose também pode ocasionar, na idade adulta, dificuldades para o ato sexual.

Na moçadinha, as pomadas de corticóides podem resolver a fimose das crianças, ajudando a soltar a pele.

Quando não funcionam, o melhor é operar por volta dos 2 anos.

Se a idade passou, então é melhor – dizem os especialistas – dar um pequeno salto no tempo e esperar a fase escolar, quando o garoto entenderá melhor o que será feito, o que lhe evitará traumas.

“Aquela ginástica de puxar a pele do pequeno com a intensão de acabar com a fimose pode piorar as coisas, provocando fissuras e machucados”, avisa o médico Luis Augusto ios.
“A cicatrização dessas lesões forma um tecido mais espesso, como se fosse uma segunda fimose sobre aquela já existente.”

É muito comum confundir fimose com excesso de prepúcio. Em tese, são coisas distintas. O segundo caso é apenas uma sobra de pele que não empede a glande de ser exposta. Mas o fato é que, com o pênis relaxado, a cabeça permanece escondida, coberta. E, na prática, isso também torna o ambiente propício a todas aquelas doenças.

O jeito seria tomar um cuidado redobrando a higiene. “Se isso não dá conta e o paciente sofre de infecções repetidas, a primeira medida é receitar medicamentos específicos”, diz Glina. “Só depois é que cogitamos a cirurgia.” Que, no final das contas, é a mesmíssima operação da fimose, quando há o tal estreitamento do anel.

A postectomia é bastante simples e por isso tão rápida. O primeiro passo é dar anestesia local na base do pênis. “Às vezes apelamos para a sedação, a pedido do paciente, que prefere dormir”, contra icardo Saad, da unicamp. O corte circular acaba tanto com o estreitamento quanto com o excesso de pele. A sutura, no final do procedimento, é feita comm pontos absorvíveis em toda a volta do pênis. Curativo pronto e o indivíduo está liberado para ir para casa.

Para não passar por isso, por enquanto, só há uma alternativa. Trata-se de uma pomada capaz de afrouxar a pele e desfazer a anomalia. No ano 2000, a revista SAÙDE! divulgou em primeira mão sua aplicação em crianças. Agora, uma nova formulação começa a ser utilizada com sucesso em homens adultos. “A pomada funciona para a fimose primária, aquela congênita. Chega a resolver 70% desses casos”, revela o urologista Paulo Palma, da Unicamp. “Não serve, porém, para aqueles casos que surgem após traumas ou durante o desenvolvimento do pênis. “O medicamento é a base de corticóides, de ação antiinflamatória, e de hialuronidases, emzimas que desfazem as fibras que formam o anel. “O paciente deve passá-lo duas vezes ao dia por duas semanas”, explica Palma, que é da equipe que desenvolve a versão da pomada para adultos.

Não mé novidade que a relação entre o homem e seu órgão sexual pode ser conturbada. “É algo que interfere na identidade, é cultural. Desde pequeno o menino é criado em função do pênis”, explica o psicólogo Sidney Di Sessa, especialista em terapía sexual do Instituto H. Ellis, em São Paulo. Isso pode interferir na hora de fazer a postectomia. “Existem mitos e falta de informação. Há medo de perder uma parte do pênis e de que a operação vá diminuir o seu tamanho.” O terapeuta entra quando há necessidade de operar e muita resistência. “Todo mundo fala muito sobre sexo, a gente vê sexo o tempo todo, mas poucas pessoas têm informação sobre o assunto”, opina Di Sessa. Ele, inclusive, foi circuncidado já adulto. Quando tinha 22 anos de idade e ainda cursava a faculdade de psicologia, passou pelo bisturi para retirar a pele em excesso, que costumava se inflamar. “Não tive muita encanação com isso. Os amigos perguntavam como ficou. As amigas tiravam um sarro”, lembra-se, depois de exatos 20 anos da cicurgia.

43 thoughts on “Fimose: existe tratamento alternativo para evitar a cirurgia

  1. EU FIZ A CIRURGIA, CONFESSO QUE ESTAVA COM MUITO MEDO, POR SER UMA REGIÃO MUITO SENSIVEL DO CORPO, NÃO SENTI ABSOLUTAMENTE DOR NENHUMA, O POS-OPERATORIO FOI SUPER INDOLOR. A UNICA COISA QUE INCOMODA SÃO AS PESSOAS FAZENDO PIADINHAS E ACHANDO QUE ESTA CIRUGIA EM AQDULTO É SINAL DE "PEQUENO PORTE".

    1. jonas, eu tenho 15 anos e tenho fimose, vc realmente nao sentiu dor apos a cirurgia? por favor responda, estou com muito medo de fazer esa cirurgia

  2. Fiz cirurgia de fimose quando criança, agora meu penis tá saindo pus, lembro que o meu médico falou que na idade adulta isso poderia voltar, será que a fimose voltou?
    Preciso da ajuda de vocês.

  3. qual é o nome da pomada para o tratamento, fui ao urologista, porrque estou com a glande do penis esbranquiçada, a glande sai normal mais disse que eu tenho que fazer postectomia, me cobrou 600,00 reais está no preco que o mercado exige?espero resposta sobre a pomada…. obrigado

  4. Eu mesmo lendo isso, não tenho bem a certeza se tenho fimose ou não… eu consigo expor a glande numa boa, quando o meu penis nao está erecto.. quando ele esta eu nao consigo… eu tenho 14 anos… muita gente ja me disse que isto era fimose, outros ja me disseram que a "cabeça" começa a aparecer normalmente, aos 15 anos… Afinal o que é? E se eu tiver fimose mesmo, quanto vai custar a cirurgia? (vai ser doloroso) ?? Eu ja procurei muito mesmo aqui na internet, mas nao encontro nada que me esclareça por completo, por isso agradecia muito que me enviassem respostas com a total certeza do que se passa comigo… Desde já muito obrigado…

  5. Olá tenho 13 anos e estou querendo fazer a cirurgia da fimose…quando ele nao esta ereto existe um excesso de pele que fica em cima do penis e quando ele esta ereto é um pouco dificil e doloroso eu abaixar ele….(mas consigo abaixar) e ele fica um tempo la mas depoois logo a pele volta… podem me responder?mandem um email para jonathan_malandrinho@hotmail.com

  6. Boa noite.
    Tenho 25 anos e tenho fimose. Mais até hoje não me atrapalhou em nada, tenho relações normais, minha masturbação tá mais que normal, nunca tiver problemas com dores nem inchaço.
    Tenho uma namorada que antes de nós termos a primeira relação sexual, cheguei pra ela e falei que eu tinha fimose, ela achou estranho no começo mais depois levou numa boa. Sempre que vou vou ter relação com uma outra pessoa que não seja minha namorada, (traição) kkkkk.. tenho medo do receio da mesma. O que eu faço em relação a isso? Continuo do jeito que tá ou procuro orientação médica? Lembrando que eu tenho 25 anos.
    Agradeço desde já.

  7. Cirras ,
    eu operei tem 7 dias,tenho 23 anos e já tive muitas relações sexuas,mas nunca ngm comento nada sobre a fimose, e olha que eu tinha a de grau 1,ou seja nao tirava nadaa da cabeca pra fora,qnto a isso fica tranquilo!!! 
    O meu problema era  que sempre estourava a camisinha e eu ficava com medo de pegar doença,nos últimos dias meu pênis tava cocano muito,fiquei preocupado e resolvi fazer a cirurgia,foi tranquilo. Nao falei com ngm ainda da cirugia e pretendo nem falar tbm… abrss

  8. Olá,
    alguem antes de fazer a cirurgia de fimose tinha um bolinhas pequeninas na parte do anel do prepucio,que quando estica a pele para ver a glande elas aparecem?
    Valeu galera

  9. tenho um filho de 3 anos e gostaria de saber de alguem mae ou pai q ja passamam por isso com um filho da mesma idade do meu como foi o procedimento?

  10. Pode sim com certeza absoluta vc deve usar preservativo, se não ele vai ser infectado, o HPV depois de contraído não pode ser neutralizado existem vacinas que devem ser tomadas antes da primeira relação sexual, como prevenção da forma mais grave que causa câncer, mas depois de infectado é conviver e não relaxar no exame preventivo papanicolau.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>